blog filosófico, cultural e político
Domingo, 20 de Julho de 2008
VIAGEM A AMSTERDÃO

Um semana passada em Amsterdão, em trabalho e laser ao mesmo tempo.

Serviu para me recompor.

Embora não me entusiasmando ( comparada com, por exemplo, S. Sebastian, outra cidade marítima, é muito inferior em beleza) dá-nos uma imagem de tranquilidade como a dá o belíssimo quadro de Vermeer, Rua de Delft.

E, depois, poder ver  A RONDA DA NOITE, Rua de Delf e tanto, tanto Van Gogh, é uma felicidade.

A cidade histórica é toda muito certa, muito igual, mesmo quando nos apresenta alguns prédios em equilíbrio que parece instável. Confesso que não gosto daqueles castanhos  excessivamente comuns nos edifícios. Prefiro as cores luminosas do sul, embora seja certo que a abundância de água, os canais que aguardam com serenidade que deslizemos sobre eles, assim só os haverá em Veneza.

O protestantismo empobreceu a cidade em termos de monumentos. As igrejas protestantes são pobres e tristes, em contrates com as fabulosas catedrais e igrejas do sul.

Mas há uma ar de liberdade e desprendimento de convenções em todos aqueles holandeses que percorrem a sua cidade de bicicleta com sol ou com chuva ( quase sempre com chuva) que me atrai profundamente, para além do seu individualismo.Essa liberdade está espalhada na multidão que percorre as ruas dia e noite,  uma multidão estonteante e heteróclita.

Mas não já nas casas de prostituição que, significativamente, envolvem a OUD KERK,  a mais antiga e creio que a maior igreja protestante de Amsterdão, onde está sepultada Saskia, a mulher de Rembrandt.

As mulheres exibem-se nas montras como gado nas feiras, esperando ( e apelando) que as vão comprar. A prostituição atinge aqui o mais elevado grau de degradação porque é sem pudor nem arrependimento.Uma degradação mútua e igual de homens e mulheres. E digo igual porque, na prostituição que se esconde considero que a degradação dos homens é superior à das mulheres.

O protestantismo exibe aqui a sua face cínica.

Mas para lá de Amsterdão, para lá da chuva e do nevoeiro, há VERMEEER, VAN GOGH e REMBRANDT. Há, sobretudo,  A RONDA DA NOITE, para mim o mais belo quadro do mundo, que Rembrandt. só aceitou pintar por insistência de Saskia, cujo amor e morte ali estão lembrados.

Como em quase todos os quadros de Rembrandt, a luz vem do alto, e do lado esquerdo. Podemos ver no capitão Franz Banning Cocq, que comandava aquela milícia, simultaneamente a mão que ordena a partida daqueles homens para a ronda da noite e a  mão que nos diz: aqui está, tomem esta beleza única. Na sua roupa e no seu chapéu o negro da sua alma ( era pedófilo, homossexual); na faixa vermelha que lhe atravesssa o tronco a sensualidade do seu corpo;no colar rendilhado e largo a sua vaidade. E essa mesma vaidade envolve todo o corpo do seu lugar tenente.

Ou será a serenidade deste que nos impressiona no meio do velado dramatismo do quadro?

 



publicado por henrique doria às 11:32
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes

POBRE AVÓ QUE ORA

SOMOS APENAS ÁGUA

FRAGMENTO

FRAGMENTO

CORREM EM MIM TRÊS RIOS

EM MEMÓRIA E LOUVOR DE AL...

OLHO PARA MIM

FRAGMENTO

VIESTE AVE DE FOGO

NADA É ETERNO

arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO
subscrever feeds