blog filosófico, cultural e político
Terça-feira, 5 de Outubro de 2010
UM SOCO NO ESTÔMAGO

 

As recentes medidas do governo para estancar o défice são um soco no estômago do país. E resultam da falta de coragem para tomar atempadamente as medidas que o grave estado das finanças públicas reclamava.

Já no final do primeior trimestre deste ano era claro o descontrole da despesa pública, e já então eram exigidas medidas correctivas imediatas.

Se tomadas então essas medidas, elas impediriam a derrapagem que se foi verificando ao longo do segundo e do terceiro trimestres, e não teriam os efeitos recessivos na economia, e, particularmente, no emprego, que as medidas ora tomadas implicam.

Em Abril, o governo poderia tomar medidas sérias de combate ao défice, nomeadamente:

1º Uma medida que constituiria também a reposição de alguma justiça na distribuição de rendimentos em Portugal, escandalosamente desigual: 

 a baixa de 5% dos vencimentos da função pública superiores a 3.000 euros, e de 10% nos vencimentos superiores a 5.000 euros. Por outro lado, no que toca ao IRS dos vencimentos do sector privado uma subida do IRS de 5% no vencimentos superiores a 3.000 euros e de 10% nos vencimentos superiores a 5.000 euros.

2º Já então poderia ter subido o IVA para 22% e não para 21% como fez em Julho, para agora o voltar a subir para 23%.

3º Um imposto extraordinário sobre as grandes fortunas.

4º Extinção de Institutos Públicos e Fundações Públicas desnecessários e que só servem para dar jobs aos boys. Começaria pelos criados pelo PSD e pelo CDS que tanto reclamam a medida. Para estes fazerem depois o mesmo em relação ao PS. E ficaria limpa a casa.

5º Investimento no TGV do Poceirão para Madrid, desde já no que toca ao transporte de mercadorias; e no TGV de Lisboa para o Porto, pois o país precisa, urgentemente, de poupar combustíveis que pesam desmesuradamentre na balança comercial.

Estas medidas não teriam efeito recessivo, mas, pelo contrário, teriam efeito expansivo na economia e, particularmente, no emprego.

6º Pagamento do submarino em 2011, mesmo desagradando à Sr.ª Merkl, que é, afinal, a nossa senhora. A compra dos dois submarinos  não passou de uma cedência do poder político ao lobi militar, e é manifesta a corrupção que envolveu a sua compra, corrupção essa a que não será alheio o vendedor. É espantoso o descaramento dos que gritam contra o TGV mas defendem a compra dos submarinos que, além do preço exorbitante e da corrupção envolvente, implicam enormes custos de manutenção.

Se estas medidas fossem tomadas atempadamente, o país não levaria o soco no estômogo que levou agora, e 2011 não seria um ano de recessão. Coragem do governo para as tomar agora? Deveria sim ter tido a coragem de tomar estas medidas que aqui se referem em Abril, para que a economia e o emprego não entrassem na recessão em 2011.

PS. Minhas queridas comentadoras: não  me elogiem tanto porque também erro. E no texto anterior referi-me às velhinhas que não estavam envolvidas na medida governamental. ERREI. Embora a ideia essencial do texto se mantenha: o excesso de sacrifícios aos pobres e a ausência de sacrifícicios para os verdadeiramente ricos, que é apanágio deste governo.



publicado por henrique doria às 09:53
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

CHINESICE

FRAGMENTO

FRAGMENTO

POBRE AVÓ QUE ORA

SOMOS APENAS ÁGUA

FRAGMENTO

FRAGMENTO

CORREM EM MIM TRÊS RIOS

EM MEMÓRIA E LOUVOR DE AL...

OLHO PARA MIM

arquivos

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO
subscrever feeds