blog filosófico, cultural e político
Sábado, 24 de Junho de 2006
A LUZ E AS TREVAS NOS ROSTOS DE JANUS

            Havia entre os romanos um deus vindo do Oriente, o deus mais estranho entre os deuses, um dos mais antigos, deus de deuses. Chamava-se Janus. Era o deus do princípio de tudo. Em primeiro lugar do princípio do tempo, e, por isso, era-lhe dedicado o primeiro mês do ano, Janeiro, em latim Januarius, a porta do ano. A sua festa era no primeiro dia de Janeiro.

            Tinha um duplo rosto: uma face voltada para o Ocidente e outra para o Oriente, uma para o que entre, outra para o que sai, uma para o passado outra para o futuro, uma para o interior, outra para o exterior, uma para o bem, outra para o mal, uma para a luz, outra para as trevas. E o bem e o mal, a luz e as trevas, constituíam cada uma delas  uma das faces Janus.

            Poderia o seu duplo olhar ser encarado como um bem, como o símbolo da prudência, que olha todas as partes da questão antes de decidir. Ou como um mal, o símbolo do imperialismo, do que tudo vê e tudo controla.

            Janus era o deus das portas. Quando se entra no Templo entra-se por uma porta, uma porta baixa, para que o profano sinta a dificuldade da passagem de fora do Templo, do mundo profano, para dentro do Templo, para o mundo da luz. A porta do Templo é a porta do Ocidente, porque é no seu umbral que o sol se põe.

            Cada um de nós é um Templo, que se pode abrir para o lado da luz ou para o lado das trevas. Cada um de nós, sem excepção.

 

HENRIQUE DÓRIA-Fragmentos

 



publicado por henrique doria às 23:30
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|

Sábado, 17 de Junho de 2006
CHIRICO - A COMÉDIA E A TRAGÉDIA


publicado por henrique doria às 17:14
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Segunda-feira, 12 de Junho de 2006
A AVALIAÇÃO DOS PROFESSORES

Ninguém com sentido de responsabilidade cívica contestará a necessidade de avaliação dos professores. Há muitos outros profissionais que há muito são avaliados ( melhor ou pior, muitas vezes pior). Todos deveríamos ser avaliados pelo nosso empenho e desempenho no trabalho, para que o país funcionasse melhor. A começar pelos governos e pelos deputados, porque estes têm o país nas mãos, e deverão constituir exemplo para todos.

Mas um dos problemas da avaliação neste país, quando ela existe, são os critérios com que é feita, raramente os melhores.

No caso dos professores do ensino básico e secundário, a actual Ministra da Educação tem em preparação ( dizemos isto eufemísticamente, porque com o espírito autoritário da ministra, o diploma já está concluído há muito) um diploma que regulamenta a avaliação do empenho e desempenho dos professores.

Numa crónica inserida na página ao lado neste jornal, o meu querido amigo Professor Vital Moreira defende esses critérios de avaliação. Pese o muito respeito que tenho pelas suas opiniões, não posso deixar de discordar delas.

O diploma contém dois itens de avaliação que deveriam ser profundamente meditados nas consequência que poderão ter no sistema de ensino.

O primeiro deles é a avaliação da componente lectiva pelos pais.

É mais que conhecida a iliteracia geral dos portugueses. E pôr um professor a ser avaliado por alguém que a única coisa que sabe, e mal, é falar de futebol ou da telenovela em curso na TVI, é não só ridículo como perigoso.

Não ignora também o Professor Vital Moreira que as agressões a professores por parte de pais e alunos tem vindo a aumentar exponencialmente nos últimos anos. Não ignora ainda que há pais  que tentam comprar as notas dos filhos, que agridem os filhos de tal modo que chegam a sangrar à escola, que os violam, etc., etc., etc.

Na melhor das hipóteses há pais que não ligam aos filhos, que chamados pela escola nem sequer aparecem.

Dar a estes pais a possibilidade de avaliarem os professores, é entregarem-lhe uma espada para cortarem cerce a autoridade dos professores na escola, que é um dos fundamentos da escola democrática e de um bom sistema de ensino.

Os professores podem dar aos alunos a educação que a generalidade dos pais lhes não dá. Mas dar educação aos pais é que os professores não podem.

Por isso, a avaliação do professores pelos pais, INDISCRIMINADAMENTE, como o prevê o diploma ministerial, é gravemente atentatório na só da escola democrática como da eficácia dos sistema de ensino ( e educação).

No entanto não deixo de sugerir uma alternativa: avaliação sim,  não indiscriminadamente pelos pais, mas por uma comissão por turma constituída por três pais de reconhecido mérito intelectual e moral, escolhidos para cada turma pelo conselho pedagógico.

Assim, os pais poderiam desempenhar a função de avaliação dos professores que seria útil que desempenhassem.

Outra questão na avaliação dos professores é o item em que são classificados pelo abandono escolar.

É cínico, na melhor das hipóteses, esse item, tal como vem exposto no diploma. Ignorará a Sr.ª Ministra que o abandono escolar tem raízes profundas na economia e na sociedade de liberalismo selvagem que este governo está a prosseguir?

Avaliar os professores por algo que competiria ao governo fazer é, no mínimo, cínico.

Os professores podem lutar contra o abandono escolar. Mas as taxas de abandono escolar e, até, de certo modo, de insucesso escolar, transcendem-nos em muito, e o diploma nem se dá ao trabalho de meditar sobre essas razões.

Se um dos itens fosse o empenho na luta contra o abandono e insucesso escolar, isso seria aceitável.

Mas ignorará a Sr.ª Ministra que há professores que se empenham nessa luta, e muito, mas ingloriamente? Sancionar esses professores pelo insucesso ou abandono e alunos  relativamente aos quais os professores trabalharam arduamente para que tivessem sucesso ou não abandonassem a escola, embora não o conseguindo, é, no mínimo, uma grave injustiça.

Há uma sociedade moldada por quem nos governa. Há Comissões de Protecção de Menores que não têm os meios nem desempenham as funções que deveriam desempenhar para lutarem contra o abandono e o insucesso escolar.

Por favor, Sr.ª Ministra, por favor Professor Vital Moreira, não culpem os professores pelas responsabilidades de outros. E  não contribuam para que outros encontrem na culpabilização dos professores um álibi para a sua inércia ou incompetência., ou, sobretudo, para as consequências para as novas gerações da sociedade que estão a construir.



publicado por henrique doria às 22:11
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
|

Quinta-feira, 8 de Junho de 2006
TIMOR: ALGUMAS EXPLICAÇÕES

De Vasco Paiva recebi esta mensagem sobre Timor que todos os portugueses devem conhecer:
 

"Daquilo que conheci quando estive em Timor, no ano passado, mais os
contactos que mantenho diariamente com os meus amigos que lá estão a
trabalhar, algumas ideias e uma leitura naturalmente muito superficial...

Quando foi a invasão do Iraque pelos americanos, Ramos Horta apressou-se a
declarar o apoio aos EEUU. Entrevistado por um jornalista Mário Alkatiri
declarou-se a favor da paz e  da resolução dos problemas no quadro das
Nações Unidas. O jornalista  insistiu que um ministro do governo de Timor
tinha apoiado os americanos...A resposta de Mário Alkatiri, perante a
insistência, foi de que Ramos Horta  não o fez como representante do governo
de Timor "deve ter sido como Prémio  Nobel da PAZ"!

Quando o Governo de Timor procurava fazer cumprir a Constituição e a
religião católica não ser de ensino obrigatório nas
escolas...desencadearam-se as manifestções. Também uma jornalista insistiu
perante o 1º Ministro que teria sido manipulado por estrangeiros o que
Alkatiri  negou... e ela insistiu com a presença do Embaixador Americano na
manifestção. Alkatiri desvalorizou... mais ou menos isso "conheço bem o Sr.
Embaixador, é muito católico, vai à missa todos os domingos, deve ter
pensado que era uma procissão.."

A sensatez e a independência de Mário Alkatiri e do seu país paga-se!

No fim de semana passado, no Público, uma socióloga australiana dizia que o
governo da Austrália não gostava do governo de Timor por causa da
delimitação do mar de Timor!  Hoje a esposa de Xanana, AUSTRALIANA, já
falava (em inglês) para a rádio e  já parecia a nova porta voz, falando em
nome do Presidente e da sua  concertação com Ramos Horta!... e com a
Austrália é claro!

A 1ª ofensiva em finais de Abril visava o Congresso da Fetilin, coincidiam
os 4 anos de independência, o fim da missão da ONU. Como ponta de lança, no
Congresso, contra o Governo e contra Alkatiri, surgia o embaixaor Timorense
nos EEUU, que depende hierarquicamente de Ramos Horta...Rápidamente a
Astrália mobilizou as suas tropas e colocou os seus barcos de guerra junto
ao mar de Timor...

Em análise no Conselho de Segurança o pedido de mais um ano de missão da ONU
em Timor, os EEUU opuseram-se, só aceitaram mais um mês, jogavam na
deterioração da situação e no papel/intervenção da Austrália.  No
Congresso
essa ofensiva perdeu, ganhou a direcção, os membros do Governo e Alkatiri.

O suposto "comandante" dos supostos "rebeldes" sempre viveu na Austrália, só
depois da independência foi para Timor, onde pelo "treinamento" dos
conselheiros australianos, integrados na ONU, chegou a comandante da
polícia.

Estavam a decorrer os concursos públicos para atribuição das concessões de
exploração de petróleo no mar de Timor. No fim de semana começou-se a
conhecer que as COMPANHIAS AUSTRALIANAS estavam mal posicionadas!  Na 2ª
feira foram tornados públicos os resultados do concurso. Nenhuma COMPANHIA
AUSTRALIANA obteve uma licença. Na 3ª feira recrudesceram os conflitos em
Timor.  Na 4ª feira entrou a tropa australiana!

Naturalmente que o chefe dos "rebeldes" diz que só fala com Xanana, com
Ramos Horta e com o comandante das tropas da Austrália... pelo meio ainda
ficou uma "tentativa de mediação"?... que metia o embaixador da indonésia em
Lisboa e a proposta de um encontro "entre as diversas partes" em  Fátima!...

Será fácil procurar mais coincidências, só tentei sistematizar algumas para
o triângulo TIMOR-PETRÓLEO-AUSTRÁLIA  e os seus pilares Xanana (casado com a
Austrália) e Ramos Horta com um pé nos Estados Unidos e outro na  Austrália
e a viver numa rua a que deu o nome de "Boulevard Kenedy"...

Podem ainda conhecer mais notícias num blog ainda feito em Timor com todas
as limitações de quem o faz, nas condições em que o faz...

 http://www.timor-online.blogspot.com/
Para mim, no meio desta caldeirada, o pior que pode acontecer é ficarem
reféns da Austrália que a pretexto de conflitos internos, entra e fica, como
foi com a Indonésia...
Um abraço para todos e por favor ajudem a esclarecer a situação."




publicado por henrique doria às 08:15
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

CANTA CORAÇÃO CANTA

MULHER -LEITO PEQUENO

VOLTA O MUNDO AO CONTRÁRI...

O AMOR

FRAGMENTO

OUVE O TAMBOR DO MAR

FRAGMENTO

FRAGMENTO

NO BRILHO TRIUNFANTE

FRAGMENTO

arquivos

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO
subscrever feeds