blog filosófico, cultural e político
Domingo, 27 de Abril de 2008
SRI AUROBINDO-UM GUIA PARA O SÉCULO XXI

Se há  um homem, no século XX, que melhor tenha espelhado a imagem de Apolónio, esse homem foi Sri Aurobindo.

Sri Aurobindo nasceu em 1872, na Índia. Em 1879 foi para Inglaterrae  e ali fez os seus estudos até ao nível superior, tendo frequentado o King’s College de Cambridge. Essa formação permitiu-lhe unir o pensamento indu ao pensamento ocidental, em particular ao pensamento grego, língua que dominava, como dominava o inglês, que foi sua língua literária, o latim, o francês, o alemão, o espanhol e o italiano, além de dominar o sâncrito e até o tamil. Regressou à Índia em 1893, começando então a praticar o ioga.

Em 1906,  passou a dedicar-se à causa da independência da Índia, tendo assumido a sua liderança e, por isso, sido preso, mas também libertado por falta de provas. Algo de semelhante sucedeu com Apolónio que, preso por Domiciano, também este não conseguiu a sua condenação à morte como queria, tendo Apolónio organizado uma fuga que para muitos foi miraculosa.

Certo do triunfo do movimento independentista da Índia, e tendo assegurado a sua direcção, retirou-se da vida política ostensiva. Na prisão, anteviu a possibilidade de uma vida divina na terra, e começou a viagem em sua busca. Passou então a viver em Pondicherry (Índia francesa), aí tendo fundado a sua comunidade, o Ashram. Dedicou o resto da sua vida à meditação, à filosofia e à poesia.

Embora tenha influenciado Gandhi, ao contrário deste entendeu que a violência tem, por vezes, de ser combatida com a violência, apoiando resolutamente os aliados na sua luta contra os nazis, tendo então afirmado. “A guerra e a destruição são um princípio universal que governa não apenas nossa vida puramente material, como também nossa existência mental e moral. O homem não pode dar um passo à frente sem uma batalha. Não basta ter mãos limpas e almas imaculadas para que a lei da guerra e da destruição desapareçam do mundo; é preciso, primeiro, que o que está em sua base desapareça da humanidade.”

Tal como Apolónio não hesitou em recorrer ao poder das armas para resistir derrubar Nero, Vitélio e Domiciano, Aurobindo não hesitou em utilizar a força para resistir à violência nazi, tendo defendido ainda o recurso à força para derrubar o poder inglês na Índia.

Também ao contrário de Gandhi acreditava nos benefícios para a humanidade do  progresso técnico e cientifico. O seu pensamento é universalista e sincretista. Para Aurobindo, como para todo o maçon, nenhuma religião, nenhuma filosofia, nenhuma doutrina política, nenhum caminho espiritual pode pretender a supremacia absoluta  da Verdade Eterna. Esta só poderá ser alcançada através de sínteses sucessivas que contéem  sempre algo antes existente.

Como Apolónio, escreveu um enorme poema, o Savitri, a grande epopeia do século XX. Chegou a ser proposto para o Nobel da Literatura, mas faleceu em 1950 sem que esse prémio jústissimo, que em 1913 tinha sido atribuído ao seu amigo Rabindranath Tagore, lhe fosse atribuído.

Do seu pensamento, citamos os seguintes fragmentos:

”Não importa que no momento não alcancemos o alvo. Contanto que nos entreguemos à tentativa. Mesmo que avance apenas duas polegadas na estrada, mesmo isso poderá ajudar a humanidade a sair do crepúsculo em que ela se debate, e levá-la para a alegria luminosa que Deus quis para nós.”

 “O animal é um laboratório vivo no qual a natureza elaborou o homem. O homem bem pode ser um laboratório pensante e vivente, com cuja a colaboração consciente a natureza queira elaborar o Homem Divino”

”Se o homem apenas vislumbrasse quão intensas são suas potencialidades e quão infinitas são as possibilidades… porém o medo e o ceticismo prendem o homem a pastagens menores.”

”Quando a natureza se separa da sua base espiritual, começa a existir a ignorância.”

“  Todos aspiram á liberdade, e, no entanto, cada criatura ama as suas cadeias. Tal é o primeiro paradoxo e o inextrincável nó da nossa natureza.”

“ A imortalidade, a unidade e a liberdade estão em nós esperando a nossa descoberta; mas, através da alegria do amor, Deus em nós será sempre a Multitude.”

”Lembrem-se que vivem um tempo excepcional numa época única, e que têm essa grande felicidade, esse incalculável privilégio, de estarem presentes ao nascimento de um novo mundo.”

Sri Aurobindo  viu claramente visto que assistia ao fim de uma Era, aquela em que o homem acreditou na vinda de um seu Salvador.

Com Sri Aurobindo o sol saía da Casa de Peixes e entrava na Casa de Aquário. O homem começa então a acreditar que ele mesmo é um ser único e divino, e que na sua viagem vai ao encontro da sua divindade só poderendo esta ser alcançada  através dos outros homens.

Viu claramente visto, mesmo antes do surgimento desse instrumento de globalização, de realização simultânea da diversidade e da unidade  que é a internet que, como disse o seu discípulo Pierre Levy, estamos em “um desses momentos extremamente raros em que uma civilização inventa a si própria, deliberadamente”.

 Trata-se de um novo humanismo, que inclui e amplia o  socrático conhece-te a ti mesmo, do Oráculo de Delfos, para um aprendamos a conhecer-nos para pensar juntos, e inclui e amplia o cartesiano penso, logo existo, para um penso com os outros, logo existo em comunidade.

Como acima vimos, no centro de Auroville está o templo, e em volta deste, como um círculo protector, o Anel da Paz.

   construindo o Anel da Paz poderá o homem conhecer-se a si mesmo como Homem conhecendo a sua divindade, poderá o homem  encontrar como Purusha.

Mas só globalizando Auroville através dos meios que, no tempo presente, a ciência e a técnica colocaram ao nosso dispor, o homem poderá encontra-se com o Mestre Perfeito e construir com outros Mestres a Cidade Perfeita.



publicado por henrique doria às 11:16
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Sexta-feira, 25 de Abril de 2008
MIMI-Homenagem ao 25 de Abril


publicado por henrique doria às 20:14
link do post | comentar | favorito
|

VIVA A SANTA LIBERDADE!

 Foi uma desilusão esta tarde inundada de sol na Baixa portuense. Esperava muita gente a festejar o 25 de Abril, mas nunca vi tão poucos na Avenida dos Aliados.É manifesto que aos partidos políticos, exceptuando, em parte, o Partido Comunista, aquele que deveria ser o feriado mais importante de Portugal é apenas mais um feriado. Os partidos políticos estão mais interessados nos jogos de poder do que na concretização dos sonhos do 25 de Abril.

Ontem vi Otelo na televisão. Que grandeza de alma, mesmo até nos erros que cometeu, face à pequenez da actual classe política, que não resisto a retratar neste poema de  FRIEDRICH von LOGAU:

 

A ARTE DE VIVER HOJE

 

Ser outro, parecer diferente,

Não falar como outra gente,

Louvar tudo, tudo aceitar,

Mentir sempre e bem ficar,

A todo o vento dar pano,

Servir bons, maus, mano a mano,

Fazer tudo, tudo inventar

Com vista a sempre ganhar:

Quem dominar esta arte

Na política hoje tem sorte.

 

 

De Abril, pelo menos, resta a Liberdade.

Viva a Santa Liberdade!



publicado por henrique doria às 19:50
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 20 de Abril de 2008
APOLÓNIO DE TIANA- O Mestre Perfeito

 Em Nuctemeron, os ensinamentos de Apolónio são misteriosos como os oráculos que ele costumava consultar, e estão distribuídos  em 12 degraus, ou horas, ou casas, correspondendo a cada uma instrução, mas todas as instruções estão ligadas, como uma escada em degraus, partindo do inferior para o superior. Notemos que  são também doze os signos do Zodíaco, e doze as portas da Jerusalém celeste, as portas da Cidade Perfeita. Transcrevo os cinco últimos desses doze degraus:

Oitava Hora: "As estrelas conversam entre si. A alma dos sóis responde ao suspiro das flores.  A corrente da harmonia faz todos os seres da natureza se harmonizarem entre si."

Nona Hora: "O número que não deve ser revelado."

 Décima Hora: "A chave do ciclo astronómico e do movimento circular da vida dos homens."

Décima Primeira Hora: "As asas dos Génios movimentam-se com um misterioso rumorejar. Eles voam de esfera a esfera e levam as Mensagens de Deus de mundo a mundo."

Décima Segunda Hora: "Aqui se realiza, pelo Fogo, a Obra da Luz Eterna."

Trata-se aqui da viagem do Homem para alcançar o triunfo da Lei Universal do Amor, a fim de salvar o que se encontra perdido, a fim de consolar aquele que se encontra abatido e curar as feridas dos que foram atingidos pela dor.

 E foi isso que Apolónio procurou toda a sua vida, não dando a César o que é de César, não capitulando cobardemente frente a Nero como o fez o apóstolo Paulo na sua Carta aos Romanos, mas guiando sábia e heroicamente a luta dos homens de boa vontade.

A Roma do tempo de Apolónio era uma cidade monstruosa onde imperava a crueldade, a violência e o sofrimento. Foi contra essa cidade que, como o deus Saturno, que os romanos consideravam o seu fundador, devorava os próprios filhos, que se revoltou Apolónio.

Exilado por Nero na Hispânia, aqui liderou o derrube de Nero através do honrado Galba. Assassinado Galba pelos soldados de Otão, e este, por sua vez, pelo soldados do bêbado e violento Vitélio, organizou Apolónio a revolta que iria conduzir ao triunfo e entronização de Vespasiano, um dos grandes e justos imperadores romanos, ao qual sucedeu o clemente Tito, seu filho, discípulo amado de Apolónio. Assassinado Tito por seu irmão, o cruel Domiciano, mais uma vez esteve Apolónio no centro da revolta que iria levar o bom Nerva ao poder, e, com este (que baldadamente solicitou a Apolónio que fosse seu Primeiro-Ministro) inaugurar-se-ia aquele período, até à morte de Marco Aurélio,que Edward Gibbon, no século XVIII, na sua belíssima e monumental obra DECLÍNIO E QUEDA DO IMPÉRIO ROMANO (obra que deveria ser de leitura obrigatória em todas as escolas), considerou o período em que a humanidade, até ao século XVIII, foi mais próspera e feliz.

Mas essas prosperidade e felicidade deve-as a humanidade, em primeiro lugar, a Apolónio de Tiana.



publicado por henrique doria às 17:39
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Sábado, 12 de Abril de 2008
A MINHA MÃO DIREITA ACENA-ME

A minha mão direita acena-me

na sombra a suave despedida.

Porque o faz longe de mim

sem lenço

ou rosa?

 

A minha mão direita sobre

o coração é uma garra

de águia

-enquanto a esquerda segura

o vento junto aos ouvidos

de dedos bem abertos.

 

E a garra de águia leva-me

o coração pelos carris do amor

onde duas linha férreas

o tentam

                  regular.



publicado por henrique doria às 21:45
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
|

O MESTRE PERFEITO- Apolónio de Tiana



publicado por henrique doria às 21:07
link do post | comentar | favorito
|

DE APOLÓNIO DE TIANA A SRI AUROBINDO

Houve dois homens, dois peregrinos perfeitos, dois seres justos e luminosos, dois espelhos em que se deve rever todo o homem, que quero dar como guias nesta viagem: Apolónio de Tiana e Sri Aurobindo.

O primeiro assistiu à aurora da Era dos Peixes, aquele em que se acreditou, como em nenhuma outra antes, na vinda de um Messias, de um Salvador da Humanidade. Cristo aceitou essa condição de Messias. E também Maomé a aceitou, cerca de setecentos anos depois de Cristo.

Apolónio de Tiana chegou a ser considerado, por alguns, como Messias, condição que ele, como ser apenas humano, recusou.

Em vez de se considerar um Messias, como simples peregrino sobre a Terra viajou dentro e fora de si mesmo. Procurou ser um homem em busca da perfeição a partir do seu eu. E procurou também transformar Roma, a cidade das cidades do seu tempo, senão numa Cidade Perfeita, o que sabia ser impossível, pelo menos numa cidade onde o viver não fosse um permanente sofrimento.

Sri Aurobindo assistiu ao crepúsculo da Era dos Peixes, ao fim trágico de todas as crenças em qualquer Salvador da Humanidade que a Segunda Grande Guerra Mundial nos trouxe.

Como Apolónio viajou não só em direcção ao eu perfeito, mas em direcção também à Cidade Perfeita. E esta, que ele idealizou, começou a ser construída após a sua morte pela sua companheira e a UNESCO, como acima foi dito.

Apolónio de Tiana teve uma vida longa, uns noventa e quatro anos, absolutamente excepcional para o tempo. Foi cidadão do mundo, que viajou desde a Espanha até à Índia, e chegou mesmo a dirigir-se à Etiópia, para aprender com a seita gimnosofista. Agia politicamente para melhorar o mundo do seu tempo. Note-se que Cristo, o Messias, foi um judeu arreigado à sua terra, que nunca deixou a Palestina, um judeu que fugia aos conflitos com o poder político romano, que em vez de estar voltado para o Homem Divino, como Apolónio de Tiana, estava voltado para o Deus dos Judeus.

Ambos foram considerados magos e profetas no seu tempo. Mas Apolónio foi um ser bem mais humano que Cristo.

Não teve fanáticos a segui-lo para transformarem a sua pregação numa religião triunfante, para dele fazerem um Deus.

Mas a sua profunda humanidade não deixou de o transformar num ser divino.

Foi Apolónio discípulo de Pitágoras, e, como Pitágoras, considerou como seu dever comprometer-se com o governo da cidade. Apolónio procurou influenciar a Roma do seu tempo. Nasceu na cidade de Tiana, na Ásia Menor, próximo de Éfeso, cidade onde pregou o apóstolo Paulo, e onde o bispo Cirilo fez, através da corrupção e da fraude, aprovar por um Concílio o dogma da virgindade de Maria. Vemo-lo referido em algumas cartas de Paulo como um seguidor de Jesus, com o nome de Apolo. Há evidências de que conheceu Jesus, mas a sua humanidade levou-a a afastar-se de Jesus e de Paulo, ao encontro do homem cidadão do mundo e não do exilado do mundo, como os seguidores de Jesus.

            Mas fê-lo sem nunca ter deixado de viajar ao interior de si como o atesta o NUCTEMERON, a sua única obra, das inúmeras que escreveu, que chegou até nós, poupada pelo ódio do catolicismo romano que via em Apolónio um perigoso concorrente do seu Cristo, e não hesitou na calúnia, na mentira e na destruição para apagar a memória e a obra desse ser admirável que foi Apolónio. Mas mesmo essa viagem dentro de si fê-la sempre ligada ao exterior: à harmonia entre os homens, à harmonia entre os homens e a natureza, à obra feita através da iluminação, como poderemos ver nos cinco últimos estádios da ascensão do homem.

O título do livro significa: "O Dia de Deus que Resplandece nas Trevas". O resplandecer nas trevas significa o desabrochar da Centelha Cósmica em cada um, o desenvolvimento da consciência luminosa do Mestre de Cada Um.



publicado por henrique doria às 01:13
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 8 de Abril de 2008
A VIAGEM E A CIDADE PERFEITA

O seu nome, Auroville, significa Cidade da Aurora. Foi concebida com sendo a cidade da Aurora da Humanidade, ou, parafraseando o grande poeta grego Yanis Ritsos, para ser a primeira cidade daquele que poderá ser o primeiro século do Homem, o século XXI.

 No centro da cidade está o espírito iluminado, o Purusha, envolvido por uma zona de paz, essencial para que o espírito iluminado se desenvolva.

Depois, a cidade desenvolve-se em espiral. A espiral simboliza a emanação, a continuidade cíclica, o contínuo movimento, o progresso a partir do contínuo centro. Simboliza a fertilidade, como a vulva, ou a concha, variações da espiral. Ela é a vibração criadora. A ordem e unidade do ser no seio da mudança e da multiplicidade.

Mas em todas as civilizações ela representa também a viagem da alma depois da morte, por caminhos desconhecidos, até à sua morada eterna.

 A partir da zona de paz, construída em círculo, como o centro espiritual, desenvolve-se a espiral com uma zona cultural, uma zona internacional, uma zona industrial e uma zona residencial.

E todas elas envolvidas por uma cintura verde.

São os seguintes os princípios por que se rege Auroville:

1.Auroville não pertence a ninguém em particular. Auroville pertence à humanidade como um todo. Mas para viver em Auroville é necessário ser o servidor voluntário da Consciência Divina. .
2. Auroville será o lugar de uma educação sem fim, de um progresso constante e de uma juventude que nunca envelhece.
 3. Auroville quer ser a ponte entre o passado e o futuro. Aproveitando todas as descobertas interiores e exteriores, Auroville dará um salto decisivo em direção a realizações futuras
4. Auroville será um lugar de pesquisas materiais e espirituais para uma manifestação concreta e viva de uma Unidade Humana real.


publicado por henrique doria às 22:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

FRAGMENTO

POBRE AVÓ QUE ORA

SOMOS APENAS ÁGUA

FRAGMENTO

FRAGMENTO

CORREM EM MIM TRÊS RIOS

EM MEMÓRIA E LOUVOR DE AL...

OLHO PARA MIM

FRAGMENTO

VIESTE AVE DE FOGO

arquivos

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO
subscrever feeds