blog filosófico, cultural e político
Terça-feira, 26 de Abril de 2011
IMAGINAR ABRIL

 

A banalidade dos discursos dos presidentes da República posteriores ao 25 de Abril trouxe-me à memória a belíssima frase de Maio de 1968: a imaginação ao poder!

O que os senhores presidentes mostraram foi tudo menos imaginação, ficando-se todos por frases e propostas estafadas e que já demonstraram os seus maus resultados. O que nos disseram todos foi que o que era bom para Portugal era um bloco central. Como se o perpetuar a mesma política já seguida pelos dois partidos que foram as principais causas  do estado em que o país se encontra, somando os dois poderes partidários, fosse a solução.

Infelizmente, à esquerda, o que existe demonstra não servir para resolver o problema mas, sobretudo, para impedir uma solução alternativa.

O PC e o BE encontramse amarrados à missão salvífica que continuam a atribuir à por eles chamada classe operária.

Não é uma conceção política. É uma conceção religiosa porque atribui a um grupo, a uma igreja, e, antes de tudo ao chefe desse grupo, a missão de salvar a humonidade. A classe operária, Marx e Lenine os salvadores da humanidade.

Na base dessa concepção salvífica está a concepção (erradamente) atribuída a Rousseau de que os homens nascem bons e é a sociedade que os perverte, no caso presente, a sociedade capitalista.

Ora os homens não são bons nem maus, porque são similtâneamente bons e maus. E não é um operário por ser operário que é melhor que um capitalista por ser capitalista. Quanto ex-operários não viraram os piores capitalistas! E quantos capitalistas não teem uma elevada consciência social!

Antes de mais desconfiemos do poder, qualquer poder, porque o poder pode facilmente transformar os homens para pior.

Se queres conhecer o vilão é pôr-lhe o poder na mão.

Depois dessa certeza que nos obriga a desconfiar de nós mesmos quando pretendemos o poder, desconfiança essa sem a qual todas as boas ideias  soçobram, quais os princípios que deve nortear qualquer homem livre e de bom caráter?

O primeiro deles é, sem dúvida, a liberdade. Sem ela nada mais tem sentido. Um escravo bem alimentado não é por ser bem alimentado que deixa de ser escravo- isto é, uma coisa e não um homem.

O segundo princípio é o da justiça. Que não é exatamente a igualdade mas sim algo que  poderia resumir nesta fórmula: de cada um segundo as suas capacidades, a cada um segundo a sua entrega aos outros.

É óbvio que estes princípios conjugados conduzem ao tratamento desigual do desigual. E isso significa que quem entregou mais à sociedade, esforçando-se, trabalhando, criando, arriscando para a comunidade deverá receber mais do que os que não se esforçam, não trabalham, não criam, não arriscam em benefício dos outros.

Como nisso somos todos diferentes, e essas diferenças são inultrapassáveis, as retribuições também deverão ser diferentes, embora sempre de acordo com esses princípios.

Mas é óbvio que o princípio da justiça não deve levar-nos a desigualdades extremas que destruiriam esse princípio: as desiguldades para serem justas devem ser limitadas.

E essa limitação deve ser balisada pelo seguinte princípio: as desigualdades só deverão existir enquanto servirem melhor que a igualdade para aumentar a retribuição da metade que recebe menos do rendimento global.

 



publicado por henrique doria às 23:07
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 17 de Abril de 2011
NEGÓCIOS POUCO NOBRES

Ontem Fátima Campos Ferreira entrevistou Alexandre Soares dos Santos. Hoje Fernando Nobre.

Nos dois casos tratou-se de negócios. Nos dois casos bem pouco nobres.

Soares dos Santos mostrou em abundância o seu rosto "humano" de empresário : isto é - falou da sua preocupação com os pobres, isto é, da sua caridade.

Tenho dito repetidamente que o oligopólio da distribuição, controlado por ele e por Belmiro de Azevedo, é uma das principais causas da crise nacional. A prová-lo está uma agricultora que também hoje falou no telejornal: os preços que Alexandre Soares dos Santos e Belmiro de Azevedo pagam aos empresários, em particular aos agricultores, são os de há DEZ ou QUINZE anos. Mas os preços de venda ao consumidor são bem atuais.

Mas os contratos de trabalho que Soares dos Santos faz são a prazo, embora para postos de trabalho permanentes. E o salário que paga a grande número dos seus trabalhadores, em particular aos recem-contratados, é o salário mínimo nacional.

 

Quanto a Fernando Nobre, a sua entrevista chegou ao deprimente. Duas coisas dali resultaram: o Nobre senhor negociou com o PS e o PSD, e foi para quem lhe deu ( prometeu) mais: a presidência da Assembleia da República.

Percebeu-se bem o que quer: o reino dos céus, isto é, a Presidência da República.

Em troca, como bom cristão, pratica a caridade, juntamente com Passos Coelho.

Isto é, dá uns trocos  aos que sofrem para ter o reino dos céus.

Ah nobre povo que tais senhores tem!



publicado por henrique doria às 22:24
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Sábado, 16 de Abril de 2011
MAUSULÉUS

 

 

Falam os esquecidos. Falam ajoelhados

Do cimo dos tímpanos

Falam através da pedra:

Somos todos teus

Iguais.

 

E a noite junta-se aos lábios aos líquenes

À verdade e à beleza.

 

E o dia é um jogo de vozes

Inocente e cruel

 

Até ao macio do musgo.

 

 

 



publicado por henrique doria às 22:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

DE REGRESSO

 

 

Regresso ao Odisseus depois de um tempo de pausa por motivos de saúde da minha filha.

Entretanto, muitas águas passaram sob as pontes. Portugal entrou num período crítico. Mais do que nunca se tornou urgente refletir no país que queremos e no que devemos fazer para termos o país que queremos.

Penso que o dia de hoje foi um dia importante para o futuro de Portugal. Hoje, no jornal PÚBLICO, foi publicado um manifesto assinado por homens livres e honestos, entre os quais os meus amigos VASCO LOURENÇO e RUI NAMORADO.

ESPERO QUE NÃO FIQUEM POR AQUI.

Já tenho repetido no Odisseus que Portugal é um país esquizofrénico, em que há um eleitorado que vota no PC, no BE e no PS por serem o mal menor. É urgente que aqueles que defendem a JUSTIÇA como algo de essencial para que o nosso país deixe de ser uma terra sem direitos para tantos, saibam e tenham a coragem de pensar, mas também de agir. É necessário que aqueles que estão em espaços nos quais já não acreditam tenham a coragem de deixar esses espaços e construir algo em que acreditam.



publicado por henrique doria às 22:08
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

CANTA CORAÇÃO CANTA

MULHER -LEITO PEQUENO

VOLTA O MUNDO AO CONTRÁRI...

O AMOR

FRAGMENTO

OUVE O TAMBOR DO MAR

FRAGMENTO

FRAGMENTO

NO BRILHO TRIUNFANTE

FRAGMENTO

arquivos

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO
subscrever feeds