blog filosófico, cultural e político
Segunda-feira, 30 de Maio de 2011
SONAE E JERÓNIMO MARTINS : OS GRANDES PREDADORES

 

Gostaria de ver abordado  com grande destaque na campanha eleitoral o tema que há dias lançou a CDU: o estrangular da produção nacional causada pelo oligopólio da distribuição constituído pela SONAE e pela JERÓNIMO MARTINS. Eles estão a pagar aos produtores, em particular agricultores, preços de produtos equivalantes aos que pagavam há 10 ou 15 anos. E vendem depois produtos vindos de Espanha e de Marrocos que fazem passar por portugueses. Os produtores nacionais estão nas mãos da SONAE e do PINGO DOCE. E estão a financiar estes predadores na esperança de poderem subsistir. Grande número deles já encerrou as portas, com grave dano para a produção e para o emprego. Isto ao mesmo tempo que recebem dos Estado apoios ao suposto apoio  à produção nacional, que o Estado bem sabe não existir mas, ainda assim, paga.

Dou-lhes um exemplo do que faz a SONAE: em cada fatura sacam 20% de rappel ( isto é, desconto por deterioração ou perda de produtos) e, nos impostos, descontam 30% para  deteriorações e perdas. Quando abrem um supermercado, descontam uma percentagem na faturação que referem como sendo " reacção" (?!) ao shopping ( os produtores pagam a abertura) e outra percentagem para promoção.

Os agricultores nada podem fazer: se não forem eles ninguém lhes tira os produtos, pois a distribuição está nas mãos deles.

O poder nada faz, incluindo essa instituição lamentável  e que só serve para pagar vencimentos chorudos, que é a AUTORIDADE DA CONCORRÊNCIA.

Tanto ou mais do que  a TROIKA, estes predadores são a causa do grande drama nacional.

E ainda se dão ao luxo de publicitar que apoiam a produção nacional e são premiados por terem um comportamento ético ( como os prémios são fáceis de atribuir a quem tem dinheiro para os pagar!)!

Os partidos ( exceto agora, mas pouco, a CDU) nada dizem.

Seria bom que este tema, demasiado grave para ser ignorado, tivesse tratamento destacado na campanha eleitoral pela esquerda ( CDU e BE) pois o PS revela-se um partido de direita porque sabendo, cala, e PSD e CDS existem porque não passam de mandaretes desses e outros donos da riqueza nacional.



publicado por henrique doria às 23:06
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 23 de Maio de 2011
O DEBATE

 

A arrogância de Sócrates levou-o a terminar mal um debate que lhe tinha corrido muito bem. Começou por demonstrar que Passos Coelho tem um programa escondido, nomeadamente quanto à saúde. Continuou bem até já perto do final, desmontando o programa liberal de Passos Coelho.

Mas capitulou nos temas essenciais.

Deveria ter-se preparado para dois temas nos quais, previsivelmente, Passos Coelho iria centrar o debate: o desemprego e o défice. E, certamente, que se teria preparado para eles. Mas, em vez de expor os seus argumentos e, depois de explorar as debilidades dos argumentos do Passos Coelho, preferiu o argumento vácuo de que Passos Coelho estava a prejudicar Portugal, era anti-patriota. Isto é, preferiu o discurso da acusação superficial e fácil a fazer crítica séria e apresentar os seus argumentos e propostas, convencido que já estava de ter ganho facilmente o debate.

A arrogância perdeu-o.

Neste momento, tenho dúvidas de que o PS venha a ser o partido mais votado nas legislativas, e que não seja possível uma coligação PSD/CDS com maioria absoluta da direita.

Sem dúvida que Sócrates tem muito culpa nisso, mas não devemos esquecer a culpa da restante esquerda, que continua com um discurso de seita que a torna incapaz de influenciar o destino de Portugal.

 



publicado por henrique doria às 22:29
link do post | comentar | favorito
|

Sexta-feira, 20 de Maio de 2011
DIÁRIO

10 de Maio de 2011

 

 

A vertiginosa vida de Manuel d´Assunção com Maria Antonieta. Dois seres únicos, irrepetíveis, a que irei dedicar-me.

Conhecê-los e dá-los a conhecer.  Merecem, devem ser amados mesmo depois da morte.

 

10 de Maio de 2011

 

A campanha eleitoral de tão previsível, de tão repetitiva, de tão vulgar teatro de sombras, tornou-se desprezível.



publicado por henrique doria às 23:15
link do post | comentar | favorito
|

O DEUS DA ERVA

                                                                       BASQUIAT-Auto-retrato

A vida era um molho de erva

Nas minhas mãos

E eu era o deus da erva.

 

Agradeço-te alma por te mostrares

Ao teu deus verde.

 

Agora já posso deitar-me na terra cortada

A olhar o céu dos sete ventos

A terra do outro deus sem rosto.

 

Ambos somos deuses na eternidade

Da nossa infância de erva.

 

 



publicado por henrique doria às 22:55
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 14 de Maio de 2011
A GREVE

                                   

O Bloco de Esquerda colocou no seu sítio na net um texto de apoio à greve dos maquinistas. Coloquei lá o seguinte comentário:

 

É este obreirismo que mata o BE. Os maquinistas são um grupo profissional privilegiado entre os trabalhadores: privilegiado em termos de horários de trabalho e remunerações.Diz o bom senso que esta não é uma greve a apoiar. Mas o Bloco apoia, não pela racionalidade, mas por crença ideológica.
Com isto deita por terra as medidas justas que propõe, como a criminalização do enriquecimento ilícito que acima está enunciada, E UMA ALTERNATIVA DE ESQUERDA.
Depois admira-se das sondagens.
Post scriptum: deve ser por ter estas opiniões, isto é, ideias próprias ( isto é, ideias alheias que organizo por mim, pois não meu é quanto escrevo), que algumas pessoas do BE do Porto não me querem lá. Certamente que querem voltar às votaçõers da UDP.



publicado por henrique doria às 22:41
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

MANUEL ANTÓNIO PINA

Diário - 12 de Maio de 2011

 

 

Prémio Camões para o Manuel António Pina. Justo premiar do poeta e do escritor cívico.

A sua poesia de encanto e desencanto, de amor e morte, as únicas coisas importantes na vida, é uma das vozes mais marcantes da atual poesia portuguesa.

Ninguém como ele aborda a realidade política e social do país com tanta preocupação de verdade e liberdade de pensamento - preocupação tão grande que começa pelo duvidar de si mesmo. Aborda a vida de Portugal e do mundo com humor melancólico.

Lúcido sem ponta de vaidade.

Um excelente amigo.

Sinto-me muito feliz por ele.

 

...

Aqui fica  um dos poemas que mais me tocaram no seu livro NENHUMA PALAVRA E NENHUMA LEMBRANÇA:

 

O AQUÁRIO DE BOHM

 

Em algum sítio onde és um só

como dois gémeos divididos,

entre o nó da vida e o nó

da morte, um sonho dos sentidos;

 

em algum passado invivido,

em algum princípio, em algum modo

da memória ou do olvido,

em alguma estranheza, em algum sono;

 

ou em alguma espécie de saudade

física e inicial

de seres real,

pura exterioridade.

 



publicado por henrique doria às 09:49
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Domingo, 8 de Maio de 2011
DIÁRIO

8 de Maio de 2011

 

Regresso ao meu diário. A leitura de Kafka a isso me obrigou. Espero conseguir alguma regularidade nestas visitas a mim mesmo.

Sempre a excelente antena 2 como primeiro contacto de domingo com o mundo fora do meu quarto.

Música japonesa. O sofrimento é um punhal que corta por dentro. E, no meio do sofrimento infligido por uma lâmina tão fina que parece suave, a alegria de uma dança: Butterfly em seus pezinhos de seda escarlate.

Para os ocidentais exibem-se as cicatrizes. Para os japoneses escondem-se, guardam-se com pudor e amor.



publicado por henrique doria às 22:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

IGUALDADE E JUSTIÇA

 Portinari

 

No texto anterior já escrevi que a igualdade absoluta é um mito, mito esse que os que são contra a justiça usam com eficácia para manterem sociedades injustas em seu proveito pessoal.

Já escrevi que a desigualde no que toca à retribuição do trabalho consoante a diferente contribuição de cada um para o aumento da riqueza partilhada pela metade da sociedade que recebe menores rendimentos é justa e desejável.

É necessário afirmar agora que essa desigualdade se justifica pela necessidade de premiar o esforço de cada uma para o bem estar geral, como a sua criatividade para o surgimento de novas formas de produzir riqueza.

Mas as desigualdades devem ser limitadas sob pena de os menos capazes, muitas vezes por razões alheias à sua vontade, receberem menos do que devem receber de acordo com a riqueza global da sociedade e o princípio da justiça.

Entendo que o estabelecimento de uma retribuição mínima deve ter como contrapartida a fixação de uma retribuição máxima pelo trabalho.

E que essa retribuição máxima deverá ser 20 vezes à retribuição mínima.

Estas vinte vezes são um leque suficiente para premiar o esforço, a capacidade e o risco que a sociedade deve incentivar nos seus cidadãos.

E é um limite que deve funcionar quer no setor público quer no setor privado da atividade económica.

Não é preciso demonstrar que é fácil para o Estado a sua imposição em ambos os setores.



publicado por henrique doria às 12:46
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

CANTA CORAÇÃO CANTA

MULHER -LEITO PEQUENO

VOLTA O MUNDO AO CONTRÁRI...

O AMOR

FRAGMENTO

OUVE O TAMBOR DO MAR

FRAGMENTO

FRAGMENTO

NO BRILHO TRIUNFANTE

FRAGMENTO

arquivos

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO
subscrever feeds