blog filosófico, cultural e político
Domingo, 27 de Novembro de 2011
OS BANQUEIROS SERÃO NOSSOS AMIGOS?

 

Prestigiados analistas financeiros, nomeadamente de Ambrose Pritchard, dizem que “Pedro Passos Coelho é louvado por respeitar os compromissos de austeridade assumidos com a UE-Fmi, mas esta política apenas está a empurrar o país para uma depressão económica grave”.

Os  principais acionistas dos “nossos” bancos bem sabem disto, e é por isso que exigem que o Estado os recapitalize, pois eles mesmos acreditam tanto no sucesso da política de Coelho e Portas (ele não se vê, mas está lá) que não querem meter nos SEUS bancos um só chavo dos milhões que têm em paraísos fiscais. E, assim como os detentores do Rendimento Mínimo Garantido exigem que o Estado os não deixe cair na valeta, invocando o princípio da igualdade consignado no artº 13º da Constituição os nossos banqueiros exigem do Estado que não os deixe cair na valeta. Foi, aliás, o que já fez ao Millennium e ao BPN.

Eles não conhecem, mas sabem aplicar a frase de Bertold Brecht: “ assaltar um banco nada é comparado com fundar um banco"

Por isso querem estar tão sós no seu negócio, ou melhor, bem acompanhados no seu negócio: com um Estado que lá mete o dinheiro de todos nós, mas que não meta lá o bico e saiba para onde vai esse dinheiro. Defendem-se eles: ninguém ignora que o Estado é mau gestor. E é certo que banqueiros são um exemplo de boa gestão, como ensinou, na sua notável obra, João Rendeiro. Por isso é que são ricos, e fundaram bancos, em vez de os assaltarem. Mas daí a acreditar, com Coelho e Portas, que são nossos amigos, e darão ao nosso dinheiro um destino diferente do que deram o BCP, o BPN e o BPP, perdoem-me a maldade, isso não.



publicado por henrique doria às 22:32
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Sexta-feira, 18 de Novembro de 2011
OS CAVALEIROS DO AMOR II

 

Este é o caminho. Mas o seu percurso fica para nós aberto à descoberta do segredo.

Temos apenas marcas. Lojas? Sabemos da ligação de Bruno à Maçonaria. Sabemos que esta se funda no segredo e no simbolismo. Assim, os nomes “revelados” na obra são os elos da cadeia de união formada pelos “Cavaleiros do Amor”. O primeiro deles, o grande Dante Alighieri, um dos membros da ordem dos “Fedeli d’ Amore”, a  associação “Fede Santa”, de que Dante foi um dos dirigentes. Depois, Bruno revela ser “Cavaleiro do Amor “ o grande Camões e, ainda, Fernão Álvares do Oriente,  Manuel Faria de Sousa, e muitos outros, entre eles o nosso rei Dinis que recusou perseguir os templários, e transformou a Ordem, dando-lhe  apenas o nome de Ordem de Cristo.

 A "Fede Santa" era, sem dúvida uma ordem iniciática que escondia sob o véu de movimento de cultores das belas letras e artes - sob versos estranhos e simbólicos - o seu caráter iniciático. O segredo da Ordem justificava-se quer porque a Verdade é esotérica, quer porque os "Fedeli" tinham de se esconder para fugirem às perseguições da Roma católica que já aniquilara os gnósticos albigenses e, depois, os heterodoxos Templários.

Para Bruno eles “ São os fiéis, não do amor, mas do contrário de Roma. Os fiéis-do-Amor são os infiéis-de-Roma. Os que são pelo Amor são contra Roma"

Eis-nos chegados ao centro do pensamento de Sampaio Bruno.

Ao contrário do que alguns prosélitos da igreja de Roma, nunca Sampaio Bruno acreditou no Deus do credo católico, nesse "...Deus pai, Senhor todo poderoso, criador do céu e da terra e de todas as coisas visíveis e invisíveis...."

Mas não acreditava também no Deus de uma qualquer outra religião. E, no entanto, Sampaio Bruno era um homem profundamente religioso.

Qual era a sua religião? O Homem.

Para Sampaio Bruno todo o homem era um templo, e o altar desse templo, o coração, o lugar do Amor. O Amor, fonte de verdade, de bem e de vida, elo da cadeia de união entre os homens, no dizer de Dante Alighieri, o Fiel do Amor, sempre presente no pensamento de Sampaio Bruno, que citava o belo poema de Boécio, em A Consolação da Filosofia:

Feliz a raça dos homens

se as almas deles, pelo amor

que rege os céus, forem regidas.

Dante A Divina Comédia

E, também no dizer de outro Fiel do Amor, Luís Vaz de Camões:

Ó vós, q´Amor obriga a ser sujeitos

A diversas vontades, quando lerdes

N´um breve livro, casos tão diversos,

Verdades puras, e não defeitos;

Entendei que, segundo Amor tiverdes,

Tereis o entendimento dos meus verso.

Camões – Os Lusíadas

Amor, diz-nos Sampaio Bruno, é anti-Roma. Para Bruno, a Igreja de Roma era o contrário do Amor. Roma era fonte de Mentira, de Mal e de Morte, 
como o demonstra a história da Igreja Católica ao longo dos séculos, desde que se aliou ao poder temporal. Estava presente no pensamento de Bruno, como no do albigense DanteAlighieri, os crimes da cruzada contra os albigenses, o cerco da cidade provençal de Béziers onde, num só dia,  as tropas do papa Inocêncio III chacinaram todos os habitantes da cidade, em número de cerca de 20.000, um número que, extrapolando a população da França de então para a de hoje, daria um número de cerca de 200.000 mortos, num só dia. Como  estava sempre presente no seu pensamento a tenebrosa Inquisição, a que Roma chamava, (cinismo brutal) de Santa, nascida na cruzada contra os Albigenses e universalizada nos anos de 1500, os anos em que viveu Camões.



publicado por henrique doria às 23:30
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Sábado, 12 de Novembro de 2011
A DOR DE CABEÇA DE ANTÓNIO JOSÉ SEGURO

                          

 

 

                

 

 ( artigo publicado no GRANDE PORTO, de 11.11.2011)

 

Pretendendo ridicularizar o grande poeta PAUL VALÉRY, um seu leitor perguntou-lhe como é que poderia existir o “ vazio doloroso” a que se referia num dos seus poemas. Ao que Valéry retorquiu com outra pergunta: o senhor nunca teve uma dor de cabeça?

            Vem isto a propósito da “abstenção violenta” anunciada por António José Seguro depois de quinze dias de meditação sobre o sentido de voto do PS em relação ao Orçamento de Estado para 2012. Seguro, no mesmo momento em que qualificava de violenta a abstenção do PS, foi dizendo que o sentido de voto do PS também poderia ser contra, mas também poderia ser a favor do orçamento do governo PSD/DCS.

            Isto é, não ignorando que o orçamento para 2012, acrescido às medidas já tomadas este ano pelo governo de Sócrates e pelo atual governo, representa uma transferência de rendimentos das classes médias e baixas para as classes mais altas, pois é esse o sentido do acordo com a troika ( que, pelo meio, vai sacando cerca de 600 milhões para ela mesma), Seguro admitiu que o seu voto poderia ser a favor do orçamento se a transferência não fosse enorme, como é, mas tão só transferência, mas também poderia ser contra se a transferência fosse colossal, a usar um adjetivo do amigo e colossal Passos Coelho. Ora sendo a enorme transferência de rendimentos das classes média e baixa para a mais alta no valor de cerca de 25% desses rendimentos, ao longo de três anos, Seguro diz-nos que poderia votar a favor do orçamento se essa transferência fosse apenas de 15%, ou, vá lá, de 20%, ou poderia votar contra se essa transferência fosse de 30% ou 35%. Mas como é de 25%, daí lava as suas mãos.

            Voltando então a Paul Valéry, poderemos dizer que esta “abstenção violenta” que Seguro vai adoptar na votação do orçamento para 2012 é de um “vazio doloroso” . Ou, dito por outras palavras, que essa “abstenção violenta” de Seguro e do PS será, para ambos, uma “dor de cabeça”.



publicado por henrique doria às 09:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Segunda-feira, 7 de Novembro de 2011
FRAGMENTOS

 

 

 

1.

A reflexão moral deverá ser, antes de mais, reflexão sobre os meios de atenuar o mal.

2.

Na natureza não há mal nem bem, há o acaso.

3.

O bem e o mal são conceitos apenas humanos.

4.

A vida e a morte são, na natureza, simples acasos.

5.

No bem e no mal conjugam-se o acaso e a necessidade, dependendo esta da vontade nos homens.

 

 



publicado por henrique doria às 21:53
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

DESTINADOS À TERRA

CHINESICE

FRAGMENTO

FRAGMENTO

POBRE AVÓ QUE ORA

SOMOS APENAS ÁGUA

FRAGMENTO

FRAGMENTO

CORREM EM MIM TRÊS RIOS

EM MEMÓRIA E LOUVOR DE AL...

arquivos

Dezembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO
subscrever feeds