blog filosófico, cultural e político
Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2005
A PAC E O CHEQUE INGLÊS
Poucos portugueses se apercebem que estamos a atravessar um momento decisivo no nosso país, porque a União Europeia está a passar um momento decisivo para o seu futuro.
Apercebi-me melhor desta realidade aqui em Estrasburgo, onde uma vez por mês funciona o Parlamento Europeu, e onde estou a convite do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, em particular do meu querido amigo Dr. Manuel dos Santos, Vice-Presidente do Parlamento Europeu, e colaborador de O PROGRESSO DE GONDOMAR.
A Inglaterra, por intermédio de Tony Blair, procurou lançar uma pedrada no charco que tem sido, desde há muitos anos, o orçamento da União Europeia.
Com o actual orçamento, um reduzidíssimo de agricultores da União Europeia, particularmente agricultores franceses, dos quais cerca de 500 recebem cerca de 16% do Orçamento da União.
Isto é, cerca de 500 empresas agrícolas francesas recebem da União Europeia mais do que todas as ajudas de coesão recebidas por Portugal!
É uma situação absolutamente escandalosa com a qual têm contemporizado todos os governos portugueses, sendo que um único deputado português votou sempre contra um orçamento assim injusto, foi o ex-deputado europeu António Campos que denunciou perante as instâncias portuguesas e europeias o facto de Portugal ser um contribuinte agrícola líquido da União Europeia, isto é, Portugal paga à União Europeia mais do que recebe em fundos de apoio à agricultura nacional.
Mas os franceses, de vários quadrantes políticos, estão possuídos de um egoísmo e de uma cegueira que os tornam avessos a uma alteração desta realidade que não só prejudica a União mas a própria Franca, já que sectores tradicionais das Franca são muito mais apoiados do que deviam, em prejuízo da educação e das novas tecnologias em desenvolvimento, mesmo em Franca, e em prejuízo de uma política externa e de segurança e de defesa comum.
Os países mais desenvolvidos exigiram uma redução do orçamento da União Europeia de cerca de 1,27 % do Produto Interno Bruto de todos os países da União para 1,03 por cento. Isso implica um diminuição de fundos para Portugal de cerca de 17%, isto é, cerca de 500 milhões de euros por ano ( 100 milhões de contos em moeda antiga).
No entanto, para a Franca e a Inglaterra, o que recebem da União não vai diminuir.
É uma realidade escandalosa que vai persistir. Para mal dos portugueses, em particular do seu futuro. E é estranho que a comunicação social e a sociedade portuguesa não se indigne com isso, e os portugueses prefiram falar no futebol, nas novelas e nas vedetas, uma conversa que é alimentada pelo quarto poder, que é a comunicação social.
Não percebem que o seu futuro e dos seus filhos se joga cada vez mais na União Europeia e não dentro do próprio país.


publicado por henrique doria às 17:52
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Anónimo a 21 de Dezembro de 2005 às 13:33
oi...vim comunikar k o meu blog http://fantasyas.blogs.sapo.pt entrou em hiatus e k tenhu um blog novo k é : http://gemendoporti.blogs.sapo.pt

agradeço a tua visita no meu recente cantinho bjux boa semana e bom natalapaixonada
(http://gemendoporti.blogs.sapo.pt)
(mailto:marta_ribeiro21@hotmail.com)


De Anónimo a 20 de Dezembro de 2005 às 23:45
Mas alguém fala disso por cá? É dado algum destaque a esses assuntos?. Nem por isso; e o povo não sabe nem parece querer saber!

Um beijo e boa estadiaPink
(http://firebud.blogspot.com/)
(mailto:the_pink_lady@sapo.pt)


De Anónimo a 19 de Dezembro de 2005 às 23:37
FELIZ NATAL PARA TI E PARA OS TEUS.
UM GRANDE ABRAÇOJose Duarte
(http://melnofrasco.blogspot.com)
(mailto:josepduarte@clix.pt)


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

DESTINADOS À TERRA

CHINESICE

FRAGMENTO

FRAGMENTO

POBRE AVÓ QUE ORA

SOMOS APENAS ÁGUA

FRAGMENTO

FRAGMENTO

CORREM EM MIM TRÊS RIOS

EM MEMÓRIA E LOUVOR DE AL...

arquivos

Dezembro 2017

Outubro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Outubro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Abril 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

blogs SAPO
subscrever feeds